Ir para o conteúdo

Mesa redonda sobre o papel da literatura no empoderamento da mulher e dos jovens Conferencias, palestras e seminários

Illustration Mesa redonda sobre o papel da literatura no empoderamento da mulher e dos jovens

A Aframo-chs, em parceria com a Amojof, acolhe na quarta-feira, dia 30 de Maio pelas 14h, nos jardins do Centro Cultural Franco Moçambicano (CCFM), uma mesa redonda que analisara o papel da literatura para o empoderamento da mulher e dos jovens. Os autores Eliana Nzualo e Andes Chivangue serão os oradores deste evento.

Lucílio Manjate
É formado em Linguística e Literatura pela Universidade Eduardo Mondlane e é professor de Literatura na Faculdade de Letras e Ciências Sociais da mesma Universidade.

É membro da Associação dos Escritores Moçambicanos (AEMO) e da Sociedade Moçambicana de Autores (SOMAS).

Públicações literárias
• O jovem caçador e a velha dentuça, 2016. [Vozes da África]
• A triste história de Barcolino, o homem que não sabia morrer, 2017. [Vozes da África].
• Manifesto. Maputo: TDM, 2006
• Os silêncios do narrador. Maputo: AEMO, 2010.
• O contador de palavras. Maputo: Alcance, 2012.
• A legítima dor da Dona Sebastião. Maputo: Alcance, 2013.
• Literatura Moçambicana – da ameaça do esquecimento à urgência do resgate. Maputo: Alcance, 2015 (Coautor)
• Rabhia. Lisboa: Edições Esgotadas, 2017.

Coorganização
• Esperança e certeza 2 – Contos. Maputo: AEMO, 2008. (Coorganizador)
• Era uma vez… Maputo: AEMO, 2009. (Coorganizador)
• Antologia Inédita – Outras vozes de Moçambique. Maputo: Alcance, 2014. (Coorganizador).

Prémios:
• Prémio Revelação – TDM – Telecomunicações de Moçambique (2006): Manifesto.
• Prémio 10 de Novembro (2010): Não me olhe com tanto ouvido boquiaberto (romance – AEMO). Posteriormente, o livro recebeu o título de Os silêncios do narrador.
• Prémio Literário Eduardo Costley-White (2017): Rabhia.
(Infos disponibles sur http://www.kapulana.com.br/lucilio-manjate/)

Eliana Nzualo
É licenciada em Ciência Política e relações internacionais pela Universidade Nova de Lisboa.
Trabalhou de 2013 a 2015 como criadora de história e oficial para mídia digital na Population Services International.
Eliana Nzualo possui um blog denominado "Escreve Eliana, escreve" onde discute temas ligados ao feminismo, ao neo-colonialismo e a política internacional, na forma de prosa e poesia.

O seu sítio contém fóruns por assinatura; os visitantes são convidados a registar-se no sítio público.